A vida, a morte e as paixões no mundo antigo: novas perspectivas

Imagem

A vida, a morte e as paixões no mundo antigo: novas perspectivas nos brinda com uma série de estimulantes ensaios que mostram que a Antiguidade não é uma época longínqua, cristalizada no passado, reduto de uma história já acabada. Muito ao contrário, é pulsante repositório de infindáveis questões que se ligam diretamente ao nosso entendimento sobre nossa própria humanidade.

Está aqui a mensagem. Cada época deve proceder de forma semelhante a Ulisses, no canto XI da Odisseia. É preciso fazer com que os mortos “falem”. E ainda, o ritual não pode ser feito uma única vez, é preciso repeti-lo a cada geração, pois só nós somos capazes de dar-lhes o dom da palavra.

Este livro é, justamente, um convite para que façamos o mundo antigo “falar”, pois, só assim, poderemos ― não retornar à Ítaca como o herói homérico ―, mas construir a Ítaca que almejamos.